Imagem 1

Rede internacional disseminou fake news para fomentar um golpe no Brasil

Rede internacional disseminou fake news para fomentar um golpe no Brasil

Viagens de Eduardo Bolsonaro à Argentina e aos EUA, em outubro de 2022, tiveram papel fundamental na tentativa de desacreditar as eleições no Brasil

No Brazilian Report: “Uma rede internacional de operadores políticos disseminou desinformação para apoiar um golpe no Brasil”. Uma investigação conjunta entre a Agência Pública, o portal Uol e Centro Latino-Americano de Jornalismo Investigativo (CLIP) revelou que, nos últimos cinco anos, Eduardo Bolsonaro vem estreitando laços com líderes de extrema-direita nos EUA e na América Latina, participando de mais de 125 reuniões, sendo inclusive nomeado representante sul-americano do The Movement, coalisão fundada por Steve Bannon para “apoiar o nacionalismo populista e rejeitar a influência do globalismo”.

Em outubro de 2022, o deputado partiu em “missão oficial” patrocinada pelo consultor político Fernando Cerimedo, na Argentina, onde se encontrou com lideres da extrema-direita, incluindo Javier Milei. Semanas depois, viajou para os EUA, onde se reuniu com Donald Trump e outros conselheiros.

Essas viagens foram peças fundamentais para o esforço transnacional coordenado para desacreditar as eleições de 2022, desempenhando papel crucial na tentativa de instigar um golpe no Brasil por meio do uso de uma campanha de desinformação e estratégias políticas questionáveis.

“Essa campanha de desinformação foi orquestrada no exterior como uma forma de contornar as estratégias adotadas pelo Superior Tribunal Eleitoral do Brasil para combater a desinformação eleitoral e dificultar alguns de seus principais promotores”, destaca a publicação.

***

A Polícia Civil do Rio de Janeiro encontrou corpos que seriam de suspeitos de participação na execução a tiros de três médicos em um quiosque na Barra da Tijuca, na quinta-feira (5).

Segundo o argentino Clarín, durante a madrugada, os agentes localizaram quatro corpos dentro de dois veículos que estavam em pontos diferentes da cidade. Um deles foi identificado como Philip Motta Pereira, conhecido como ‘Lesk’, suspeito de ser um dos responsáveis por iniciar um conflito entre traficantes e milicianos, que disputam o controle de atividades ilegais em nove comunidades da zona oeste do Rio, incluindo a Barra da Tijuca.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, determinou que a Polícia Federal acompanhasse as investigações do caso. Segundo publicação da agência Prensa Latina, em uma coletiva de imprensa nesta quinta (5), em Salvador, Dino apontou que o controle irresponsável de armas é uma das causas da violência no Brasil. “Nós temos o dever de apontar as causas da violência no Brasil. E uma dessas causas, eu disse, reafirmo, sublinho e direi sempre: foi o armamentismo irresponsável praticado no Brasil nos últimos anos”, declarou.

***

No La Nación, estrategistas enviados por Lula à Argentina estão auxiliando na campanha presidenciável de Sergio Massa, com o objetivo de evitar que Javier Milei vença o primeiro turno. A reportagem cita publicação d’O Globo, que disse ter conversado com alguns dos estrategistas em condição de anonimato, e apurou que os seus principais objetivos são “dar mais emoção à campanha de Massa e ajudar os argentinos a entender como funciona o universo digital da extrema-direita”, a partir do que foi aprendido em campanhas contra o ex-presidente inelegível. Em nota, a assessoria do PT negou as informações.

Veja Também:  No G7, Lula propõe taxação dos super-ricos e governança global para IA

O australiano The Conversation traz o perfil de Javier Milei: um libertário de direita conhecido por sua retórica agressiva que o compara a Donald Trump e [o ex-presidente brasileiro inelegível], que utiliza uma motosserra como símbolo de seu plano de reduzir o governo, prometendo cortes em ministérios como educação, meio ambiente e direitos das mulheres, além de eliminar o financiamento para pesquisa científica e “dolarizar” a economia, substituindo o peso argentino pela moeda dos Estados Unidos. “Milei promete uma mudança radical na trajetória atual da Argentina, e seus ataques à ciência e à educação fazem parte de um preocupante populismo de direita anti-intelectual que ameaça as democracias liberais em todo o mundo”, destaca a publicação.

***

O STF deu início nesta sexta-feira (6) ao julgamento virtual de mais seis acusados pelos atos golpistas de 8 de janeiro. Os acusados são Reginaldo Carlos Begiato, Jorge Ferreira, Cláudio Augusto Felippe, Jaqueline Freitas Gimenez, Edineia Paes da Silva dos Santos e Marcelo Lopes do Carmo. Relator do caso, o ministro Alexandre de Moraes votou pela condenação dos réus, com penas que variam de 14 a 17 anos. Informa a agência cubana Prensa Latina.

O espanhol Rebelión republica artigo em que o analista político Jefferson Miolla argumenta que uma nova anistia para militares envolvidos em atividades golpistas equivale a “uma ameaça à democracia em situações de fragilidade civil”.

***

Também na Prensa Latina, a informação de que o TSE agendou para a próxima terça-feira (10) o julgamento de três ações de investigação eleitoral contra o ex-presidente (já) inelegível. De acordo com fontes judiciais, o general Walter Braga Netto, candidato a vice-presidente, também será julgado, em uma ação incluída na agenda pelo presidente do tribunal, a pedido do ministro relator Benedito Gonçalves. Ambos são acusados de abuso de poder político, desvio de finalidade e conduta proibida a agentes públicos nas eleições.

***

Publicação do uruguaio Uy.press aponta que especialistas e técnicos da União Europeia e do Mercosul alcançaram “progressos significativos” em reuniões realizadas na terça (3) e na quarta-feira (4) em Brasília sobre as perspectivas de um acordo de livre comércio entre os blocos. A reunião realizada no Palácio do Itamaraty tinha como um de seus objetivos “resolver as diferenças” em questões como “meio ambiente, compras governamentais e aspectos legais do acordo”.

*Imagem em destaque: Pedro França/Agência Senado

Tagged: , , , , , ,

Leave comment