Imagem 1

Categoria: Europa

As vozes da distopia

Os partidos neofascistas apresentam-se hoje com votações acima de 15 por cento em 19 países da Europa e só não possuem representantes nos parlamentos da Lituânia, Malta e Irlanda. Cada vez mais a atuar como aliada preferencial da direita tradicional, dita democrática, a extrema-direita articula-se em frentes, elabora planos internacionais e confia no que acredita ser inevitável: a conquista do poder em todos os países. É o vislumbre de um mundo sombrio, distópico e miserável.

Leia mais

Viagem sem refúgio

Os partidos de direita e, principalmente, os de extrema-direita fazem uso político do que chamam de “invasão” de imigrantes e assustam a classe média que já se defronta com a crise econômica, assiste em sobressalto a guerra na Ucrânia e toma conhecimento do grande genocídio em Gaza.

Leia mais

O cio da cadela

O alerta de Brecht é um lembrete de que o fascismo nunca está completamente derrotado. É como uma doença que pode ressurgir a qualquer momento, se as condições lhe forem propícias. A ascensão atual da extrema-direita leva a crer que este é mais uma vez um momento ameaçador.

Leia mais

O mundo e suas trágicas histórias

A desigualdade econômica e social é uma das principais misérias mundo afora. Poucos bilionários detêm a maior parte dos recursos e das riquezas e a grande maioria das populações sobrevive em condições precárias. O desemprego afeta milhões de trabalhadores com a consequente falta de renda, pobreza e exclusão social

Leia mais

A Europa veste-se para a guerra

Putin já afirmou existir uma linha vermelha que não pode ser ultrapassada pelas potências ocidentais sob pena de uso de armas nucleares. Os países europeus que possuem armas nucleares, além da própria Rússia, são o Reino Unido e a França. O Reino Unido possui 225 ogivas nucleares, com 120 prontas para uso. A França, por sua vez, tem em seus arsenais 290 ogivas. Alemanha, Bélgica, Itália, Países Baixos e Turquia não possuem ogivas nucleares próprias, mas têm acordos para armazenar armamento nuclear dos Estados Unidos. Segundo a Federação dos Cientistas dos EUA, a Rússia detém 5.580 ogivas nucleares.
Uma só dessas ogivas é bastante para o mundo qualquer dia desses despertar para viver a aurora do Apocalipse.

Leia mais

A subversão dos caranguejos

Na sua lógica adversa, a extrema direita apresenta uma solução: vamos voltar ao passado. Sua ideologia caminha para trás, como os caranguejos. Se há escassez, que sejam expulsos os extratos sociais que não têm direito a um passado mítico, um tempo de fertilidade

Leia mais

O sufoco da direita

O maior adversário da direita tradicional não tem sido os movimentos progressistas de esquerda, mas a corrupção ideológica em suas próprias fileiras que a fez degenerar transformando-se nos movimentos de extrema-direita.

Leia mais

O crescimento agrícola brasileiro impede o acordo Mercosul-União Europeia?

“A eficiência brasileira na produção agrícola diversificada é o principal obstáculo para o acordo que está sendo negociado há 25 anos”, afirma presidente da Associação Brasileira de Comércio

Leia mais

Réquiem para a monarquia

Existem atualmente doze monarquias na Europa. No princípio do Século XIX, com exceção da França, todos os países europeus eram governados por monarquias. Excluindo as Américas, era também a forma de governo disseminada pelo mundo. Cinquenta anos depois e duas guerras que mudaram a face de todos os continentes, existem menos de 50, das quais dezesseis dirigidas pelo Rei Charles III da Inglaterra.

Leia mais

As eleições na União Europeia

As previsões para os partidos de esquerda nas eleições da União Europeia em 2024 são incertas e dependem de diversos fatores. Mas é possível observar um crescimento da esquerda verde e da esquerda radical em alguns países, enquanto a fragmentação das esquerdas continua a ser o grande desafio a comprometer o desempenho eleitoral dos partidos progressistas.

Leia mais