Imagem 1

Argentina, pesquisas: “empate técnico” ou maior chance de vitória para Massa.

Argentina, pesquisas: “empate técnico” ou maior chance de vitória para Massa.

Deu no New York Times: As pesquisas para o segundo turno das eleições presidenciais na Argentina, no próximo domingo (19), indicam um empate técnico entre Milei e Sergio Massa, o candidato de centro-esquerda e atual ministro da Economia da Argentina – algumas pesquisas, contudo apontam maior chance de vitória para Massa. Apoiadores de Milei já estão reclamando, atribuindo a fraude ao seu segundo lugar no mês passado e indo às ruas, pelo menos três vezes, para protestar contra o que alegam ser planos da esquerda para roubar as eleições. Na quinta-feira (16), anunciaram planos de protestar no dia das eleições. Até o momento, as manifestações têm sido relativamente pequenas e pacíficas.

“Não estou preocupado com o sistema eleitoral argentino estar em risco, mas que certas práticas que vimos nos EUA e no Brasil se repitam”, disse Facundo Cruz, cientista político argentino, ouvido pelo NYT.

Acusações de fraude eleitoral feitas por Milei seguem estratégias de Trump e Bolsonaro. O economista “libertário” de extrema-direita alegou, sem apresentar evidências, que cédulas roubadas e danificadas resultaram na perda de mais de um milhão de votos para ele nas eleições primárias de agosto, representando aproximadamente 5% do total, e afirmou que um esquema semelhante poderia ter influenciado o resultado do primeiro turno das eleições gerais em 22 de outubro, onde ele ficou em segundo lugar com 30% dos votos.

O Guardian traz à memória que tanto os Estados Unidos quanto o Brasil foram palco de graves surtos de violência, quando seguidores de Trump e Bolsonaro, enfurecidos por falsas alegações de fraude, causaram tumultos em suas respectivas capitais, buscando reverter os resultados das eleições.

Federico Finchesltein, historiador argentino ouvido pela publicação britânica, acredita na possibilidade de uma tentativa de golpe: “É muito difícil dizer o que Milei fará [se perder], mas é altamente provável que ele siga este… manual de instruções de um aspirante a fascista”, alertou, prevendo: “O passado brasileiro com Bolsonaro se assemelha à possibilidade de um futuro argentino. Se Milei vencer, a democracia sofrerá”.

***

Durante sua participação na segunda cúpula virtual Vozes do Sul Global, promovida pelo primeiro-ministro indiano Narendra Modi, o presidente Lula afirmou, nesta sexta-feira (17), que as tragédias humanitárias atuais evidenciam a colapso de entidades internacionais e voltou a defender a governança global. Segundo Lula, o atual modelo de governança, criado depois da 2ª Guerra Mundial, não representa mais a geopolítica do século 21, sendo necessária uma representação adequada de países emergentes nestas instituições já que, “por não refletirem a realidade atual, elas perderam efetividade e credibilidade”.

“Em seu mandato no Conselho de Segurança da ONU, o Brasil tem trabalhado incansavelmente pela paz. Mas as soluções são reiteradamente frustradas pelo direito de veto”, apontou Lula, instando ao resgate da confiança no multilateralismo. “Precisamos recuperar nossas melhores tradições humanistas. Nada justifica que as principais vítimas dos conflitos sejam mulheres e crianças. É preciso restituir a primazia do direito internacional, inclusive o humanitário, que valha igualmente para todos, sem padrões duplos ou medidas unilaterais”, acrescentou, em referência ao conflito entre Israel e Hamas. As informações são do portal África 21 Digital.

Veja Também:  “Não sei o que o amanhã nos trará. Vamos ter que começar tudo de novo"

***

Fontes do Palácio do Planalto informaram à Reuters que o subprocurador-geral da República e vice-procurador-geral Eleitoral do Brasil Paulo Gonet emergiu como o principal candidato do presidente Lula para ser o próximo procurador-geral da República. Gonet conquistou o apoio crucial de vários ministros do Supremo Tribunal Federal e do Ministro da Justiça Flavio Dino, disseram as fontes. Ele também atuou no processo do Tribunal Superior Eleitoral que condenou o ex-presidente à inelegibilidade até 2030.

***

Hasan Rabee, brasileiro-palestino que documentou o conflito em Gaza por 37 dias antes de ser repatriado, pediu escolta policial ao Ministério da Justiça nesta quinta-feira (17), depois de receber mais de 200 ameaças nas redes sociais. A agência Prensa Latina relata que as intimidações tiveram início especialmente após Rabee aparecer ao lado do presidente Lula durante a repatriação. Sua defesa destaca a urgência da ação e solicita proteção para ele, sua esposa e suas duas filhas pequenas até a identificação e responsabilização dos autores.

***

A Casa Branca condenou nesta sexta-feira (17) uma postagem nas redes sociais feita por Elon Musk na qual ele indicou apoio a uma teoria da conspiração antissemita. Segundo o Washington Post, o proprietário do X, antigo Twitter, concordou com um usuário que culpou os judeus pelo aumento do antissemitismo on-line, por apoiarem “multidões de minorias” e promoverem “ódio contra brancos”. O usuário disse não ter simpatia pelos judeus que enfrentam comentários de ódio como “Hitler estava certo”.

“Você falou a pura verdade”, respondeu Musk, propagando o post do usuário para sua vasta base de seguidores. Em outro tuite, ele criticou a Liga Antidifamação, acusando-a de atacar injustamente a maioria ocidental em vez de grupos minoritários. Andres Bates, porta-voz da Casa Branca, descreveu a atitude de Musk como “promoção abominável de ódio antissemita e racista”. O episódio aprofunda os conflitos entre o governo Biden e Musk, uma figura cada vez mais proeminente na direita.

A condenação ocorre em um momento de problemas financeiros para a X. Os anunciantes fugiram do site desde que Musk o comprou, em outubro de 2022, e houve uma redução na moderação de conteúdo, resultando no aumento acentuado do discurso de ódio na rede social, escreve a Reuters. Nesta quinta-feira (16), a IBM suspendeu imediatamente toda a publicidade no X depois que uma reportagem descobriu que seus anúncios foram colocados ao lado de conteúdo que promovia Adolf Hitler e o Partido Nazista.

Imagem em destaque: Reprodução/Wikimedia Commons

Tagged: , , , , , , ,

Leave comment