Imagem 1

Bayer é denunciada à OCDE por desmatamento e violações aos direitos humanos

Bayer é denunciada à OCDE por desmatamento e violações aos direitos humanos

POR TATIANA CARLOTTI

O argentino El Diário e o brasileiro Brasil de Fato trazem reportagens sobre a denúncia inédita contra a Bayer, feita na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) nesta quinta-feira (15), por organizações da América Latina – Centro de Estudios Legales y Sociales da Argentina; Terra de Direitos do Brasil; BASE Investigaciones Sociales do Paraguai e Fundación TIERRA da Bolívia – e pelos europeus Centro Europeu para os Direitos Humanos (CELS) e Misereor Católico Alemão.

As entidades acusam a gigante alemã, empresa de sementes transgênicas e de glifosato, de se enriquecer à custa da desflorestação, de fumigações prejudiciais aos seres humanos, à fauna e à vida selvagem e à deslocalização de agricultores. Também apontam o impacto dessas violações em vários países, em particular no Brasil, Argentina, Paraguai e Bolívia.

Diz o texto: “Na América do Sul, onde estão os dez maiores produtores de soja do mundo, o grupo se beneficia do aumento constante do uso agrícola para o cultivo da soja e gera milhões em vendas graças à venda de pesticidas tóxicos e sementes de soja geneticamente modificadas à base de glifosato que são resistentes a eles (…) Ao violar o seu dever de cuidado na venda de soja e pesticidas tóxicos, a Bayer ignora as diretrizes da OCDE para as empresas multinacionais e contribui para os efeitos negativos nos quatro países latino-americanos. Conforme as diretrizes da OCDE, espera-se que as empresas respeitem os direitos humanos reconhecidos internacionalmente e o ambiente nas suas cadeias de valor globais. Isto inclui garantir que não contribuem para impactos negativos no direito à saúde, à alimentação, à terra e a um ambiente saudável”.

A empresa alemã nega as acusações.

GAZA

Em declaração conjunta, lideranças de 18 países, incluindo Brasil, Estados Unidos, França, Reino Unido, Argentina, Colômbia e Espanha, pediram ao grupo islâmico palestino Hamas a liberação imediata de todos os reféns mantidos em Gaza. Eles também expressaram no documento a preocupação com o destino dos reféns e da população civil de Gaza, enfatizando a necessidade de um cessar-fogo prolongado e a entrega de mais ajuda humanitária para alcançar um fim credível das hostilidades na região.

O comunicado foi emitido após a divulgação de um vídeo do Hamas com um dos reféns com a parte do braço esquerdo amputado, criticando Netanyahu por não fazer o suficiente para libertá-los. Acredita-se que existam 129 reféns do grupo desde 7 de outubro, confira em El Tiempo e no argentino Continental. Enquanto isso, o genocídio palestino perpetrado por Israel na Faixa de Gaza, que já ceifou a vida de mais de 34 mil pessoas, deixando um rastro de milhares de feridos e milhões de pessoas desabrigadas em seis meses de conflito, com apoio e financiamento massivo dos Estados Unidos, que vem vetando a entrada da Palestina como estado-membro das Nações Unidas, comenta Thalif Deen na Inter Press Service (tradução do F21).

REPARAÇÃO HISTÓRICA

O Brasil está demandando ações concretas de Portugal após o presidente português Marcelo Rebelo de Sousa sugerir o pagamento de reparações por crimes cometidos durante a era colonial. A ministra da Igualdade Racial do Brasil, Anielle Franco, elogiou a declaração como “importante e contundente”, destacando que este é um debate internacional inédito, resultado de décadas de reivindicações da população negra. A menção sobre a reparação foi dita nesta terça-feira pelo presidente português a jornalistas. Ele afirmou que Portugal deve arcar com os custos dos crimes coloniais e considerou a necessidade de reparação para as ações não punidas e bens saqueados não devolvidos, confira a cobertura sobre o tema nos jornais portugueses Correio da Manhã, Público e no argentino Página 12.

Veja Também:  Com chuvas desta madrugada, Rio Guaíba volta a subir em Porto Alegre

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS

A cada dois minutos, uma criança ou adolescente é vítima de violência no Brasil. É o que revela um levantamento do portal R7 a partir dos dados do “Disque 100”, canal de denúncias do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania. Foram registrados pelo disque denúncia 66.551 casos de violência contra crianças e adolescentes nos três primeiros meses deste ano (91 dias), o que dá uma média de 1 vítima a cada dois minutos. O número representa uma alta de 26,8% em relação ao mesmo período de 2023. A maior parte dos casos, explica a cubana Prensa Latina, “envolve negligência e violência física, psíquica e patrimonial”. Além disso, grande parte das violências ocorrem dentro de casa, onde a vítima convive com o agressor.

FEBRE AFTOSA

O Rio de Janeiro sedia até amanhã, a 50ª Reunião Ordinária da Comissão Sul-Americana de Combate à Febre Aftosa (Cosalfa), que oferece uma oportunidade para revisar o Programa Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (Phefa) desde sua implementação em 1988, destacando os progressos significativos alcançados nas Américas, onde aproximadamente 98% das regiões mantêm o status oficial de “livre de febre aftosa, com ou sem vacinação”. Também serão discutidas atualizações em preparação para a fase final do programa, incluindo o progresso do Banco Regional de Antígenos/Vacinas contra a Febre Aftosa e iniciativas colaborativas público-privadas para avançar nas estratégias regionais, informa a cubana Prensa Latina.

BANCO CENTRAL

A agência Reuters aponta tensões entre o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, e a equipe do Ministério da Fazenda, devido a críticas recentes à política orçamentária e à rejeição das orientações de política monetária. “Essas tensões ressuscitam preocupações sobre a transição do Banco Central, especialmente porque marca a primeira mudança sob a nova legislação que confere autonomia formal à instituição. Espera-se que o próximo presidente seja um aliado político de Lula e de sua equipe econômica, contrastando com a postura de Campos Neto, que anteriormente enfrentou críticas de Lula sobre as taxas de juros elevadas”, afirma a reportagem.

LOS HERMANOS

A Reuters informa que a crise diplomática no Equador e as incertezas sobre o futuro político da Venezuela dividiram as nações sul-americanas e vem minando o entusiasmo do presidente Lula por um fórum regional. Na terça, o presidente brasileiro disse esperar que o presidente chileno Gabriel Boric convide outros presidentes para discutir a integração sul-americana durante sua visita de Estado ao Chile em 17 e 18 de maio. “Precisamos discutir como agir como um bloco”, afirmou Lula.

LULA EM CANNES

Está confirmado: o cineasta Oliver Stone apresentará um documentário sobre o presidente Lula no Festival de Cannes neste ano, informa a Agência Nodal. Stone tem vários documentários focados em figuras políticas como Hugo Chávez, Fidel Castro e Yasser Arafat.


Foto em destaque: Ativistas protestam contra a Bayer na Alemanha. Foto: Caroline Oliveira / Brasil de Fato.

Tagged: , ,