Imagem 1

Avança investigação do assassinato de Marielle Franco – destaque na mídia

Avança investigação do assassinato de Marielle Franco – destaque na mídia

A investigação sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, ocorrido em março de 2018, teve novas revelações nesta segunda-feira, divulgadas pelo Ministério da Justiça e a Polícia Federal. Delação de um dos presos orientou o caso. Ainda assim, o mandante do crime bárbaro não foi indicado. O tema foi noticiado com destaque pela mídia internacional, principalmente em veículos da América Latina e pelo sempre atento a temas brasileiros The Guardian.

Marielle Franco

A polícia brasileira prendeu um novo suspeito pelo assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco, o primeiro grande desenvolvimento em alguns anos em um caso de assassinato que chocou o Brasil e provocou protestos internacionais, informa de maneira opinativa o britânico The Guardian. Dois ex-policiais acusados de cometer os assassinatos foram presos um ano depois – mas ainda não foram julgados por um júri e uma investigação sobre quem ordenou o assassinato tem se arrastado lentamente desde então. O ex-bombeiro Maxwell Simões Corrêa, conhecido como “Suel”, foi preso em sua casa, na zona oeste do Rio, nesta segunda-feira. A Polícia Federal também cumpriu sete mandados de busca e apreensão em endereços no Rio como parte da operação, batizada de “Elpis” em homenagem ao espírito da esperança na mitologia grega. Simões Corrêa já estava em prisão domiciliar por obstrução da Justiça, mas novas evidências apontando para seu envolvimento mais profundo nos assassinatos levaram os policiais a prendê-lo, disse o chefe da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, a repórteres. De acordo com os investigadores, Simões Corrêa deu apoio logístico a Ronnie Lessa e Élcio Vieira de Queiroz, os ex-policiais acusados de disparar os tiros e dirigir o carro usado nos assassinatos. A operação desta segunda-feira foi realizada pela Polícia Federal, que em fevereiro lançou sua própria investigação sobre o assassinato e seus motivos, para auxiliar em uma investigação paralela conduzida pelo Estado, repleta de críticas de ineficiência.

O argentino La Nación também destaca a notícia de que a Polícia Federal e o Ministério Público do Rio de Janeiro deflagraram nesta segunda-feira a Operação Élpis, na primeira fase de uma nova investigação sobre os assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, ocorridos em março de 2018. As autoridades anunciaram que um dos dois suspeitos presos pelo crime confessou seu envolvimento no assassinato após chegar a um acordo com as autoridades por meio da troca de informações relevantes para o caso: a confissão do suspeito levou a Polícia Federal a prender o ex-bombeiro Maxwell Simões Correa (conhecido como Suel) como cúmplice do duplo homicídio. A reportagem acrescenta que nos últimos meses as autoridades obtiveram “novas evidências” que confirmam o envolvimento no crime das duas pessoas presas no caso, os ex-policiais Ronnie Lessa e Elcio de Queiroz, disse o ministro da Justiça Flávio Dino. Acusados respectivamente de disparar os tiros e dirigir o carro em que perseguiram a vereadora na saída de uma reunião de trabalho, Lessa e Queiroz foram presos em março de 2019 e permanecem na cadeia aguardando julgamento.

No Le Parisien, reportagem detalhada. “Vereadora assassinada no Brasil: cinco anos após a morte de Marielle Franco, um suspeito confessa”. E complementa: Um dos homens suspeitos de envolvimento no assassinato confessou após chegar a um acordo com as autoridades. Mas os investigadores ainda estão procurando os mandantes do crime, que chocou o Brasil e o mundo.

“O caso do assassinato da vereadora Marielle Franco avança no Brasil e um novo detento é preso”, noticia o uruguaio Ámbito. O Ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Flávio Dino, indicou que os detalhes fornecidos por um detido ajudariam a progredir em relação aos mandantes do assassinato da vereadora, que ocorreu no Rio de Janeiro.

Veja Também:  Mídia internacional destaca diplomacia brasileira promovendo integração e fortalecimento do Sul Global

Uma nova pessoa presa pelo crime de Marielle Franco. Acusado de fornecer o carro em que as armas eram guardadas. Com a chegada do governo de Luiz Inácio Lula da Silva em 1º de janeiro, o ministro da Justiça Flávio Dino criou um grupo especial dentro da Polícia Federal para apoiar as investigações da polícia do Rio, com o objetivo final de solucionar o crime de uma vez por todas, informa o argentino Página 12. “Quem ordenou a morte de Marielle e por quê?”, questiona o jornal.

O Nodal, que traz notícias da América Latina e do Caribe, também cita que o governo Lula criou um grupo especial dentro da Polícia Federal para apoiar as investigações da polícia do Rio, com o objetivo final de solucionar o crime de uma vez por todas.

Na publicação Brazilian Report: Novo avanço na investigação de Marielle Franco. Um dos principais suspeitos no caso Marielle Franco concordou com um acordo judicial.

Futebol feminino

A jogadora Ary Borges, do Brasil, disse que passou por toda a gama de emoções durante sua estreia na Copa do Mundo Feminina, na vitória de 4 a 0 sobre o Panamá nesta segunda-feira, acrescentando que ficou tão surpresa quanto qualquer outra pessoa ao marcar três gols em seu primeiro jogo no evento contra o Panamá. A jogadora de 23 anos, que atua no Racing Louisville, clube da Liga Nacional de Futebol Feminino, considerou esse “um dos dias mais felizes” de sua vida. “Eu não poderia ter imaginado isso nem nos meus sonhos mais loucos”, disse Borges após a vitória, informa a Reuters.

Na Associated Press, “o Brasil chegou ao topo do Grupo F e Borges foi a estrela no Estádio Hindmarsh”.

Independent, Brazilian Report e sites latinos também noticiaram, entre outros, a vitória do Brasil.

Nasa x Brasil

O administrador da Nasa, Bill Nelson, ofereceu nesta segunda-feira ao presidente Lula ajuda para que o país monitore o desmatamento na Amazônia com imagens de três novos satélites que serão lançados em breve. “Vamos lançar três novos satélites que vão adicionar extrema capacidade para entender o que está acontecendo e parar a destruição (da Amazônia)”, disse Nelson a jornalistas depois apontar que a Nasa já envia “muitas informações” de seus satélites para cientistas brasileiros, informa o El Mercurio, do Equador.

El Niño

Na revista britânica Economist, reportagem sobre os efeitos do El Niño. Em junho, o mundo entrou na fase “El Niño”, um dos três estágios de um fenômeno climático que traz temperaturas do mar mais quentes para o Oceano Pacífico e desencadeia eventos climáticos extremos em todo o mundo. Os episódios anteriores do El Niño causaram estragos na agricultura e em outros setores vulneráveis a mudanças nos padrões climáticos. Para as potências de commodities, como o Brasil e outros países da América Latina, isso pode significar problemas para o abastecimento global de alimentos.

Leave comment