BAHIA: Governo presente cuida da gente

Debate AMSUR: América do Sul e Brasil no Contexto da Geopolítica Regional e Mundial (veja vídeo)

Debate AMSUR: América do Sul e Brasil no Contexto da Geopolítica Regional e Mundial (veja vídeo)

O debate AMSUR “América do Sul e Brasil no Contexto da Geopolítica Regional e Mundial” é uma realização do Instituto Sulamericano para a Cooperação e a Gestão Estratégica de Políticas Públicas com as parcerias do Fórum 21 e Rede Estação Democracia, ocorrido em 8 de julho de 2024.

Países da América do Sul, e o Brasil em seu interior, atravessam um quadro de uma forte ofensiva da extrema-direita, aparentemente com movimentos que se casam com o agravamento das tensões internacionais, geopolíticas e geoeconômicas que afetam Eurásia, Sudeste Asiático e Oriente Médio. Vários países sul-americanos sofrem situações de desestabilização, alguns por processos eleitorais, como são os casos de Argentina e Equador, outros pelos embates políticos internos em processo pré-eleitoral, como a Venezuela, outros ainda por movimentos golpistas internos, como é o caso da Bolívia, etc.

No Brasil, há os movimentos de desestabilização do governo Lula, que têm tomado várias dimensões. Ao mesmo tempo, há a postura de Milei, que não vai à reunião do Mercosul para ir a um encontro internacional da extrema-direita em Santa-Catarina, etc. Nesse mesmo quadro, aparentemente desconexo, ocorrem movimentações da Quarta Frota americana nas águas do Atlântico Sul, enquanto a General-Comandante do Comando Sul se dá ao direito de se pronunciar sobre as políticas externas de países da Região, mostrando incômodos americanos quanto à relação comercial de vários dos países regionais com a China.

Como entender essa situação de múltiplos movimentos, aparentemente distintos e desconexos no âmbito da geopolítica e dos movimentos políticos internos a cada país da região? O que têm de lógica comum? Como o quadro brasileiro de movimentos de desestabilização do Governo Lula se relaciona com esses movimentos gerais? Que papel desempenha Estados Unidos nesse processo?

Veja Também:  Revoluções socialistas com governos militarizados

Para buscarmos elementos de melhor conhecimento desse panorama, contamos com as contribuições de:

Roberto Goulart Menezes, Professor Associado IV e Vice-Diretor do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UnB), onde coordena o Grupo de Reflexão G20 no Brasil, pesquisador do Instituto Nacional de Estudos sobre os Estados Unidos (INCT-INEU/CNPq/FAPESP).

Sebastião Carlos Velasco e Cruz, Professor Titular do Departamento de Ciência Política da Unicamp e do Programa San Tiago Dantas de Pós-Graduação em Relações Internacionais, UNESP/UNICAMP/PUC-SP. Foi presidente do Centro de Estudos de Cultura Contemporânea (CEDEC), é vice-coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos sobre os Estados Unidos (INCT-INEU).

Tagged: ,