BAHIA: Governo presente cuida da gente

Em novo depoimento, Cid associa membros das Forças Armadas em trama golpista

Em novo depoimento, Cid associa membros das Forças Armadas em trama golpista

CID VOLTA A DEPOR

O tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, reforçou nesta segunda-feira (11) a existência de manobras para contestar o resultado das eleições de 2022 e manter o ex-presidente – agora inelegível – no poder.

Em um novo depoimento à Polícia Federal (PF), que se estendeu por mais de nove horas e terminou apenas na madrugada desta terça-feira (12), Cid confirmou que seu ex-chefe aspirava permanecer no cargo, mesmo após ser derrotado por Lula nas urnas.

Apesar de negar sua presença na reunião ministerial de teor golpista liderada por Bolsonaro em 5 de julho de 2022, o tenente-coronel destacou um encontro com os então comandantes do Exército, Marco Antonio Freire Gomes, da Marinha, Almir Garnier, e da Aeronáutica, Baptista Junior. Nessa ocasião, teria sido apresentado um esboço da minuta golpista que visava invalidar o resultado das eleições e prender autoridades, incluindo o ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Desde que firmou seu acordo de delação premiada com a PF em setembro de 2023, Cid tem fornecido informações sobre a conspiração golpista desencadeada no final de 2022 por membros do Poder Executivo, políticos e militares das Forças Armadas. Em 22 de fevereiro, os investigadores ouviram 23 pessoas de várias regiões do país, todas acusadas de envolvimento com uma organização criminosa criada para atacar as instituições. Dos 23 convocados, 16 optaram por permanecer em silêncio, incluindo Bolsonaro, que alega não ter tido acesso aos documentos da investigação, e o ex-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno.

A investigação deve ser concluída até junho e, então, enviada à Procuradoria Geral da República para aprovação. Após essa etapa, é esperado que o Supremo Tribunal Federal inicie um processo penal e julgue os envolvidos. Se forem considerados culpados, as sentenças podem ser estabelecidas até o final do ano (Prensa Latina).

MENOS ASSASSINATOS EM 2023

Dados do Monitor da Violência apontam que o número de assassinatos no Brasil em 2023 caiu 4% em relação ao ano anterior. O estudo conta as vítimas de homicídios dolosos – incluindo feminicídios, roubos – furtos seguidos de morte – e lesões corporais seguidas de óbito; as mortes causadas pela violência policial não são incluídas neste cálculo.

A maioria dos estados registrou menos assassinatos, resultando na menor queda desde 2007, início da série histórica do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). O índice de assassinatos por cada 100 mil habitantes também diminuiu, passando de 20,3 em 2022 para 19,4 no ano passado. Apesar da melhoria, o Brasil ainda possui um dos maiores índices de homicídios do mundo (Prensa Latina).

Veja Também:  Presidente Lula, não morda essa isca, mesmo que ela se multiplique. Ouça o Podcast.

‘TORTO ARADO’ É DESTAQUE EM PRÊMIO BRITÂNICO

Na edição deste ano do International Booker Prize, que celebra os melhores livros internacionais traduzidos no Reino Unido entre meio de 2023 e abril de 2024, a literatura latino-americana ganhou destaque. Um quarto dos livros indicados neste ano é de autoria de escritores sul-americanos, incluindo representantes da Argentina, Venezuela e Brasil.

Para a edição deste ano, o júri selecionou 13 livros entre os 149 submetidos pelas editoras, os quais, segundo eles, “representam o melhor da ficção internacional, em uma variedade de formas”. Um dos livros nomeados é “Torto Arado”, do escritor brasileiro Itamar Vieira Junior, sendo o único escrito em português. Em Portugal, o romance foi vencedor do Prêmio Leya 2018 e do Prêmio Oceanos de 2020. Agora na disputa pelo prêmio literário inglês, o livro é o maior sucesso de vendas no Brasil nas últimas décadas.

O júri descreve o romance como “uma história dolorosa, porém terna, sobre nossas origens de violência, sobre como passamos nossas vidas tentando fazer florescer o amor e os cuidados que nos são dispensados, e sobre a linguagem e o silêncio de que precisamos para alimentar nosso cuidado” (Expresso).

MACRON VEM AO BRASIL

Segundo fontes do governo francês, o presidente Emmanuel Macron planeja visitar o Brasil entre os dias 26 e 28 de março. A visita ocorre em meio aos esforços da União Europeia (UE) para finalizar um acordo comercial com o Mercosul, bloco do qual o Brasil faz parte, juntamente com Argentina, Uruguai e Paraguai.

A França tem sido o principal opositor desse acordo, com Macron tentando bloquear as negociações, chegando até mesmo a intervir diretamente com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. Apesar disso, o presidente francês estará acompanhado de uma grande delegação comercial durante sua estadia em solo brasileiro.

Os agricultores franceses e europeus têm protestado nas ruas contra o acordo com o Mercosul, temendo uma possível inundação de alimentos mais baratos nos mercados, especialmente carne bovina.

Lula, ao contrário de seu colega francês, indicou estar pronto para assinar o acordo (Politico).

*Imagem em destaque: Geraldo Magela/Agência Senado

Tagged: , , , , , , , ,