BAHIA: Governo presente cuida da gente

Aprovação de Lula cresce e rejeição cai em pesquisa Datafolha

Aprovação de Lula cresce e rejeição cai em pesquisa Datafolha

O índice de aprovação do governo Lula atingiu 36% em junho, um pouco acima dos 35% registrados em março, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada na terça-feira pelo site da Folha de S.Paulo e nesta quarta-feira pela edição impressa do jornal. A taxa de desaprovação do presidente foi de 31%, abaixo dos 33% do mês de março. Os entrevistados pelo instituto que consideravam seu governo regular chegaram a 31% (antes 30%). De acordo com o Datafolha, 40% das pessoas pesquisadas têm expectativas positivas em relação à economia brasileira, acima dos 39% de três meses atrás, enquanto as opiniões pessimistas eram de 28%, contra 27%. “As ligeiras melhoras ocorrem mesmo com o real mostrando uma queda de mais de 8% desde o final de março, pressionado pelas incertezas fiscais locais e por um dólar americano forte”, diz a agência Reuters.

“Apesar da margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou menos, que indica a estabilidade no quadro geral, o empate técnico entre quem considera Lula ótimo/bom e ruim/péssimo do levantamento passado deu lugar a uma leve melhora em favor do presidente”, diz o Datafolha, segundo reportagem da Folha. A curva negativa para Lula, que vinha se desenhando desde o fim do ano, foi invertida nesta pesquisa, que marca um ano e seis meses do terceiro mandato do petista à frente do Palácio do Planalto. O instituto ouviu 2.008 eleitores em 113 municípios brasileiros de 4 a 13 de junho, completa.

É LULA, DE NOVO

O presidente Lula, de 78 anos, disse que está preparado para se candidatar como seu sucessor em 2026, a fim de evitar que “um fascista” volte ao poder, em referência ao ex-presidente Jair Bolsonaro ou seus aliados. “Eu não vou permitir que esse país volte a ser governado por um fascista, não vou permitir que volte a ser governado por um negacionista”, disse Lula em entrevista à rádio CBN. (Le Parisien)

“Não permitirei que este país seja governado novamente por um fascista; não permitirei que seja governado novamente por um negacionista”, disse Lula na entrevista, em reportagem sobre possível reeleição de Lula. (La Jornada, México)

La Política Online publica as declarações de Lula de que poderia se candidatar em 2026 ao afirmar que há uma crise no governo por divergências com o Congresso e dificuldades com o orçamento, em que Lula preferiria continuar realizar investimentos. Publica ainda as acusações de Lula ao presidente do Banco Central.

BOLSONARISTAS NA ARGENTINA

O governo da Argentina negou nesta quarta-feira ter “um pacto de imunidade” com Jair Bolsonaro, para oferecer asilo político a 65 cidadãos que supostamente entraram na Argentina após o ataque de 8 de janeiro de 2023 perpetrado por apoiadores de Bolsonaro contra a sede dos três Poderes do governo em Brasília.

“Não fazemos nenhum pacto de imunidade com Bolsonaro nem nunca faremos com ninguém. (Esse) é um assunto judicial. A justiça tomará as medidas correspondentes quando chegar a hora de tomá-las e nós as respeitaremos”, disse o porta-voz presidencial Manuel Adorni em uma coletiva de imprensa.  “Se o sistema judiciário brasileiro solicitar ao (sistema judiciário) argentino um determinado assunto, caberá ao sistema judiciário local decidir que medida tomar”, disse. (El Mercúrio)

Veja Também:  Lula recebe presidente da Itália e vai a convenção Boulos-Marta; MST debate eleição na Venezuela; e investigação sobre Abin ouve Ramagem

O Brasil alega que pode haver 100 brasileiros na Argentina que participaram da tentativa de golpe contra o presidente Lula da Silva, e que eles podem ter entrado no país por passagens não autorizadas. “Eles entraram com os documentos de outras pessoas ou em carros. Alguns não entraram pela migração, mas por rios que estão secos. Não se sabe quantos estão na Argentina”. (Ámbito)

STF / MARIELLE

Por unanimidade, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou a denúncia para tornar réus os acusados de serem os mandantes dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, ocorridos em 2018. Foram tornados réus como mandantes o deputado federal Chiquinho Brazão, o irmão dele, Domingos Brazão, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, e o antigo chefe da polícia do mesmo estado, Rivaldo Barbosa. Os três foram presos pela Polícia Federal (PF) em março passado, e negam todas as acusações. (Correio da Manhã, português e Público, argentino)

CHOMSKY VIVO

O italiano Tommaso Debenedetti reivindicou a responsabilidade pelas notícias falsas sobre a morte do filósofo americano Noam Chomsky, aos 95 anos, que ontem deixaram um rastro de saudações de despedida e memes nas redes sociais. O La Nación informa que recebeu um e-mail do “assassino do Twitter” (agora X), o jornalista e professor italiano Tommaso Debenedetti, no qual ele reivindicou a responsabilidade pelo “assassinato virtual” do famoso linguista. “Claramente eu fui o autor da notícia falsa da morte de Chomsky”, diz Debenedetti, que já havia “assassinado” escritores como Mario Vargas Llosa, Haruki Murakami, Antonio Muñoz Molina e Claudia Piñeiro em contas falsas no X e, recentemente, César Aira na conta falsa da ministra do Capital Humano, Sandra Pettovello. “[Ontem] criei uma conta X falsa da Universidade do Arizona, onde postei o anúncio: ‘Nosso querido professor Noam Chomsky morreu minutos atrás no Brasil’. A conta foi rapidamente suspensa pelo X, mas incrivelmente muitos meios de comunicação nos Estados Unidos e em toda a América publicaram a notícia como verdadeira. Sem qualquer checagem ou verificação. Comunicado do centro médico de São Paulo onde Chomsky estava internado informou que ele teve alta. (La Nación)

Tagged: , , , , , ,