BAHIA: Governo presente cuida da gente

Programas – de 20 a 28 de junho

Programas – de 20 a 28 de junho

*Leitura mais do que oportuna e necessária, organizado por Flávia Biroli e Luis Felipe Miguel, o livro Aborto e Democracia contém uma série de estudos sobre as disputas em torno do direito ao aborto no Brasil, que permitem compreender a correlação de forças e as restrições aos direitos das mulheres que a situação atual apresenta. Resumo do trabalho de autoria de especialistas no assunto: na sua introdução, temas como aborto, democracia e laicidade; em seguida, aborto, justiça e autonomia; o direito ao aborto como questão política; sobre o dever e o poder de ser mãe: sobre direito ao aborto e maternidade; política, direitos humanos e aborto: uma análise das opiniões de líderes pentecostais brasileiros.

*E ainda seguindo: capítulos sobre aborto e células-tronco embrionárias no Senado: choque de moralidades sobre a gestão da vida; o debate sobre aborto na Câmara dos Deputados, de 1990 a 2014; aborto e maternidade no STF: análise dos julgamentos da ADI 3510 e da ADPF 54; o aborto e as eleições de 2010: o papel do jornalismo na definição dos discursos conservadores; as vicissitudes da lei da interrupção voluntária da gravidez no Uruguai: estratégias conservadoras para evitar o exercício do direito de decidir das mulheres. Sobre os organizadores: Flávia Birollié professora do Instituto de Ciência Política da UnBe Luis Felipe Miguel é professor titular do Instituto de Ciência Política da UnB (Ed. Alameda).

*Desorientação, racha e conflitos relativos aos rumos da guerra genocida do estado de Israel contra os palestinos da faixa de Gaza. Depois de Netanyahu dissolver o gabinete de guerra, o principal porta-voz do Exército, Daniel Hagari, afirmou, esta semana, que o grupo terrorista Hamas “não pode ser eliminado apesar da guerra na Faixa de Gaza”. Tentando amenizar o comunicado oficial de Hagari, o exército diz que ele se referia somente “à destruição do Hamas como ideologia e ideia”.

*Programa necessário: informar-se sobre a quantidade de dados, causas da crise climática que assola o mundo. A reunião desses dados está no livro O decênio decisivo, do pesquisador e professor aposentado e colaborador do Departamento de História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, Luiz Marques, sobre o caos ambiental. Nele, são abordadas as preocupações com o destino da vida biológica na Terra, e Marques “não hesita em apontar culpados e tece críticas sobre o setor da economia que considera o grande algoz do meio ambiente”, na sua entrevista concedida a Igor Carvalho, em Brasil de Fato. “O agronegócio é o grande inimigo do Brasil”, ele diz. Para o pesquisador e professor, o decênio de 2020 será fundamental para a expectativa da vida no planeta nas próximas décadas.

*Depois de ser homenageada com a inauguração de um memorial em Salvador em dezembro passado, Maria Odília Teixeira, a primeira médica negra do Brasil, tem sua trajetória narrada no documentário Quem é essa mulher?

*A história da médica é contada através do olhar de Mayara Santos, mulher negra da periferia de Salvador e mestra em História pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). No documentário, Mayara explora a vida de Maria Odília, nascida em São Félix do Paraguaçu, no Recôncavo Baiano, dez anos antes da abolição.

*De Roberto Amaral com a colaboração de Pedro Amaral, no seu texto Adeus a Conceição, evocando frases e conceitos da economista em entrevista concedida por Maria da Conceição Tavares à revista Margem Esquerda, em 2008: “A classe operária preferiu ir ao paraíso a fazer a revolução. De preferência se for um paraíso consumista. (…) Não há evidência de revolução operária depois do século XIX. (…) O neoliberalismo apodreceu a ‘opinião pública’ e, ao apodrecê-la, produziu o que há de pior em matéria de liderança de direita”.

Veja Também:  Lula recebe presidente da Itália e vai a convenção Boulos-Marta; MST debate eleição na Venezuela; e investigação sobre Abin ouve Ramagem

*Nas principais estantes das livrarias, o primeiro volume Zé Dirceu – Memórias, uma autobiografia do ex-ministro, ex-deputado e advogado mineiro de 78 anos, José Dirceu de Oliveira e Silva, lançado pela Geração Editorial. Na prisão, José Dirceu escreveu a história da sua vida com os bastidores inéditos da sua militância estudantil nos anos 1960, o exílio e o treinamento para a guerrilha, em Cuba, a cirurgia plástica que mudou seu rosto, a vida clandestina no Brasil nos anos 1970, a volta à legalidade com a anistia, em 1979, e sua ascensão no Partido dos Trabalhadores, onde se tornou presidente e um dos principais responsáveis pela eleição de Lula à presidência da República, na época.

*A plataforma Reserva Imovision anuncia seus lançamentos online para os últimos dias de junho. Dia 27, Il Buco (produção italiana) e dia 28, Natureza do Amor (filme canadense).

*Em Lisboa, onde vive e trabalha, o ex-publicitário brasileiro José Guilherme Vereza, escritor, lançando O cunhal das bolas, volume de crônicas editado pela Kotter, de Portugal. No bar Samambaia. Seu livro anterior é Meu imenso Portugal, com apresentação de outro ex-publicitário brasileiro e também escritor, Celso Japiassu.

*O programa é não esquecer a tragédia das enchentes, no Rio Grande do Sul, que atingiu os assentamentos gaúchos. O assunto é tema de mais uma campanha de solidariedade do MST, o Movimento dos Sem Terra, solicitando ajuda e para que essas populações possam se recuperar (clique aqui).

*O programa também é acompanhar, no próximo dia 30, o primeiro turno das importantes eleições legislativas, na França, convocadas pelo atual presidente Emmanuel Macron. Segundo turno em sete de julho.

*Um novo catálogo de canal especializado em filmes de ação, catástrofe, terror e suspense, o Adrenalina Pura contém cerca de 400 produções protagonizadas por astros do cinemão. Há quem goste de relaxar assistindo-os. No Prime Video Channels, Apple TV e Claro TV+. Informante, Infiltrado Lutando pela Vida, À Sombra do Mal são alguns dos títulos que já dizem o que se pretende nessas produções.

*Vergonha, a situação atual do Colégio Pedro II, primeiro colégio do Rio de Janeiro a oferecer ensino secundário, e responsável por formar artistas, juristas e políticos, entre eles três presidentes da República. Perto de completar 190 anos, o colégio está em crise e a reitora, conselheiros e servidores apontam uma queda no orçamento, desde 2016, que compromete a execução de obras, a compra de equipamentos e a manutenção de prédios, alguns deles centenários. Fundado em 1837, o Pedro II formou os presidentes da República Rodrigues Alves, Hermes da Fonseca e Washington Luís, ministros atuais do Supremo Tribunal Federal, e Mário Lago, Fernanda Montenegro, o compositor Arlindo Cruz e atuais vereadores da Câmara do Rio.

*Sancionada em março último pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Lei 14.814/2024 que determina que os cinemas reservem um percentual mínimo para sessões com filmes brasileiros, acaba de entrar em vigor esta semana. Objetivo: valorizar o cinema nacional. O governo também anunciou o investimento de R$ 1,6 bilhão no setor audiovisual, tendo como foco a produção de filmes e séries nacionais.

O assunto é Humor Gráfico na Alfabetização, de autoria de Betania Dantas, com charges, histórias em quadrinhos e caricaturas para serem utilizadas em sala de aula. Diz a autora, com livros publicados sobre educação, arte e memória, que os desenhos de humor podem e devem ser incorporados na alfabetização, para desenvolvimento da interpretação e da elaboração de imagens (Editora Contexto).

Tagged: , , , , , , , , , ,